Harvard Business Review - Brasil - Edição 9711 (2019-11)

(Antfer) #1
nuncativemosproblemaantes—
disseRicardo.
—Eusei.Estamosdestacando
essefatoparaosjornalistase em
nossasredessociais.Telefoneipara
quevocêaprovasseumadecla-
ração.Masestoucomreceiode
quea academiadeLiverpoolsofra
umdurogolpe.Talveza deCardiff
também.Comoo sucessodessas
academiastemsidomuitolento,
nãoachoquetemoscondiçõesde
enfrentarumacrisedepublicidade.
Elahesitouumpoucoe depois
voltoua falar:
—Sinceramente,Ric,começoa
acharquetalveznossavindaparao
ReinoUnidotenhasidoprecipitada.
—Comoassim?—perguntouo
CEO.—Esteé umúnicoincidente.
—Sim.Masé outrosinalde
alerta.Porquenossascampanhas
demarketingnoReinoUnidonão

foramtãobem-sucedidasquanto
nosEstadosUnidos?Porqueas
vendasnãoestãoduplicandomês
a mêscomoestáocorrendoem
Cingapura?Porquenãoestamos
obtendoo mesmoapoiodepesso-
asinfluentesqueconseguimosem
todososoutroslugares?^2
—Vamosnosconcentrarno
problemaemquestão,minimizar
o estrago.Enviea declaração,vou
avaliá-lao maisrápidopossível.
E reservarumapassagempara
Liverpool.Precisoestarlá.Você
também.Depoisdiscutiremosa
situaçãocomoumtodo.
Ricardoencerroua ligação.
Depoisdetodoo sucessodomés-
ticodaAscendancye a recente
conquistaemCingapura,seráque
a equipehaviaficadodemasiado
confianteemsuacapacidadede
conquistarnovosmercados?

dEsAVEnÇAACALORAdA
Umasemanamaistarde,Ricardo
aindaestavaemLiverpool.O
alpinistaretirouo processodepois
dosrelatosdequeelemachucara
ascostasanteriormenteaoseen-
volvernumabrigadebare deque
tambémnestecasotentoumover
umaação.Masa academiaainda
nãoatraíaa multidãocoma quala
equipecontava.Ricardoconvocou
umareuniãonaacademiacom
Margo,quetambémestavanaci -
dade,CharlieSaperstein,gerente
dedesenvolvimentodenegócios
queparticipouviaSkypeporque
estavavisitandopossíveislugares
paraa aberturadeumafilialem
Amsterdã,e KianChambers,que

foracontratadoparasupervisio-
nara AscendancydeLiverpool.
Ricardodirigiu-seprimeiroao
gerentelocal.
—Kian,vocêconhecemelhor
estemercado.Queachaqueestá
acontecendo?
Elesentiuqueo jovemestava
hesitante,e acenoucoma cabeça
emsinaldeincentivo:
—Porfavor,sejasincero.
—Bem,comoeudissequando
começamos,escaladaestávirando
modaporaqui.^3 Eue meusamigos
fazemosissoháanos,masa maior
partedaspessoasdaminhaidade
jogafutebol,rúgbioucríquete,e as
quegostamdesemanteremforma
estãoacostumadasapenasa fazer
esteiraoutreinaremaparelhos.Pre-
cisamoseducá-las,entende?Além
disso,estamosnoinverno,escure-
ceà tarde,e aspessoasnãosaem
tanto.Mesmoasmaisatléticasse
contentamcomumacervejaem
casaounopub. E euseiqueo pro-
cessoacabou,masachoqueisso
provocoucertoreceiodequees-
tagrandeempresaamericanaeste-
jamaisinteressadaemganhardi-
nheirodoqueemoferecerumaex-
periênciadealtonível.Recebemos
muitomaisperguntassobresegu-
rançaatualmente,principalmente
demães.Ficouaindamaisdifícilocu-
parasvagasdasturmasdejovens.
Ricardofezumacareta.Jovens
adultos,adolescentese crianças,
elesrepresentavamo sustentoda
Ascendancy.
Charlieentrounaconversa:
—Sabíamosqueenfrentaría-
mosdesafios.Masescolhemos

Estudo
decaso:
notasde
saladeaula

1.A indústria
deacademias
deescalada te-
vecrescimen-
todequase12%
em2018,com a
aberturade 50
novasunida-
des,segundo
oClimbing
Business
Journal.
A Ascendancy
devetentar
acompanhar
esteritmo?

2.Comoastáti-
casdenegócio
devemajustar-se
à localização
geográfica?

3.A Inglaterra
tem,hoje,mais
de 75 academias
deescalada
emmaisde
60 cidades.

4.Essescritérios
sãoadequados?
Quaisoutros
dadosa
Ascendancy
develevar
emconta?

Experiência


Sinceramente, Ric,
começo a achar que talvez
nossa vinda para o Reino Unido
tenha sido precipitada.


O sucesso de nossas
academias em Liverpool
e em Cardiff tem sido
muito lento.

Harvard Business Review
Free download pdf