Harvard Business Review - Brasil - Edição 9711 (2019-11)

(Antfer) #1
Liverpoolexatamenteporque
academiasdeescaladaseriam
novidade,nãoé umacidadesatu-
radadeconcorrentes,e consegui-
ríamosinaugurar,e liderar,esta
modaassimcomofizemosem
nossascidadesamericanas.
Quandoa equipeexecutivaco-
meçousuaofensivainternacional,
oscritériosparaa seleçãodolocal
eramsimples:a empresaprocurou
mercadoscujaprimeiraousegunda
línguafosseo inglês,cujapopula-
ção,cidadee arredores,ultrapas-
sasse2 milhõesdehabitantese con-
tassenomáximocomduasacade-
miasdeescalada;populaçãode
maisde1 milhãoe apenasumaaca-
demia;oumaisde 400 mile nenhu-
maacademia.^4 Commaisde2 mi-
lhõesdehabitantesemsuaárea
metropolitanae apenasdoispeque-
noscentrosdeescalada,Liverpool
seadequavaa essescritérios.
—Estaestratégiaestádando
certoemCingapura—prosseguiu
Charlie.—Nãoconseguiremosabrir

umanovaacademialátãocedo.Mas
encontreidoisótimoslugaresem
Amsterdã.Háumaenormevanta-
gememsero precursor:^5 assegurar
queaspessoaspassarãoa conhecer
a escaladapormeiodenossasaulas
e equipamentos.Sóprecisamosdar
maistempoparaLiverpool.
—TambémparaCardiff ?—
perguntouMargo,entrandona
conversa.—Osnúmerossão
igualmenteruins.
—Elesnãoestãoruins, apenas
nãosãotãobonsquantoosque
estamosacostumadosa ver—
respondeuCharlie.
Ricardofranziua testa.Dizerque
osnúmeros“nãoeramtãobons”di-
ficilmenteagradariaosinvestidores.
—Como crescimentoque
estamosobservandoemCingapura
e como sucessodasnovasacade-
miasemProvidencee Nashville,
e talvezemAmsterdã,Manchester
e Dublinnoanoquevem,pode-
moscompensaro iníciolentoem
Liverpoole emCardiff—disse

Charlie,mostrandoqueseuentu-
siasmonãohaviaarrefecido.
—Nósnãotrabalhamosdesta
forma—comentouMargo,indig-
nada.—Cadaacademiaprecisa
recuperar20%deseuinvestimen-
toinicialdecapitaldentrodeum
anoe cobrirseuscustosopera-
cionaisemdois.^6 —Elaapontou
paraa áreadetrêsandaresdeum
cinzaonduladodooutroladoda
mesadiantedaqualo grupoestava
sentado.Apenasdoisalpinistasse
encontravamali.
—Foiassimquefizemosno
passado—respondeuCharlie.—
Masenfrentamosumapublicidade
negativaaqui.Quandoseestá
trabalhandoemnovospaíses,sur-
gemdiferentesproblemas.Talvez
a genteprecisesermaisflexível
comnossasatividadesnoexterior:
alterarosobjetivose o modelopara
umaabordagemdeportfólio.^7
—Oufrearumpouconossaex-
pansãointernacional,gastarmais
tempoparaentenderosmercados

5.Algunsestu-
dosdemonstra-
ramquetoda
empresapoderá
conseguirvanta-
gemsignificativa
seforo primeiro
grandeplayerde
seusetorouem
determinadalo-
calização— por
meiodalideran-
çatecnológica
oudaaquisição
dosmelhores
recursos.Po-
rém,especia-
listasapontam
queospioneiros
apresentamum
históricoinstá-
vele que,muitas
vezes,sãoaque-
lesquechegam
depoisquecon-
seguemobter
sucessoa
longoprazo.


Experiência


Ascendancy de Liverpool,
uma semana depois.

Kian, você conhece
o mercado do
Reino Unido melhor.
Qual sua impressão?

Ricardo conversa com sua equipe.


O alpinismo é algo
que ainda está virando
moda por aqui. Precisamos
educar as pessoas,
entende?

Precisamos ter
mais paciência.

Encontrei também
dois ótimos lugares
em Amsterdã.

Talvez a gente deva
dar um tempo em
nossa expansão
internacional.

Nos assegurar de
que entendemos os
mercados em que
estamos entrando.

Harvard Business Review
Free download pdf