IMPACTO - 19-06-2020

(IMPACTO) #1

19 DE JUNHO DE 2020 5


Referência para 62 municípios,


Clínica PAI se reestrutura para


melhorar atendimento 100% SUS


JOÃO VINÍCIUS
joãovinicius@gimpacto.com.br


Ao entrar na Clínica PAI (Polo
de Atividades Integradas) em Ada-
mantina já se percebe a reestru-
turação que passa o local. Obras
de modernização do espaço físico
talvez, visivelmente, seja a mu-
dança mais significativa. Mas, as
transformações vão além, dando
uma nova perspectiva para o hos-
pital psiquiátrico referência para
62 municípios do extremo interior
paulista.
A atual gestão, reeleita em abril
para mais dois anos de mandato, é
peça fundamental neste processo
iniciado em janeiro de 2017, pelo
Poder Judiciário e Ministério Pú-
blico. Correndo risco de fechar as
portas, magistrados e promotores
começaram a mobilização que con-
tou com a participação de toda a
sociedade local.
E, em 2018, a Paróquia Santo
Antônio assumiu a administra-
ção do hospital com uma diretoria
formada por leigos, sem qualquer
remuneração. Considerada obra
pastoral, a gestão conta com apoio
da Diocese de Marília.


DÍVIDAS MILIONÁRIAS
Com dívida milionária, a Clí-
nica PAI corria riscos reais de in-
terromper o atendimento. Neste
período o Judiciário assumiu a ad-
ministração do hospital, considera-
da “caótica”. Sem qualquer gestão e
longe da comunidade local, os débi-
tos se multiplicavam, tornando-se
“impagáveis”.
As dívidas trabalhistas, tribu-
tárias e com fornecedores começa-
ram a ser renegociadas neste pro-
cesso de reestruturação.
As questões trabalhistas foram
legalizadas com apoio dos funcio-
nários do hospital e parte dos tri-
butos parcelados. Porém o maior
montante ainda está em análise. A
falta de reclassificação, pela direto-
ria anterior, da entidade para sem
fins lucrativos causou tributação
milionária, o que é questionada na
Justiça.
“Quando assumimos a situação
jurídica da Clínica já era melhor,
porém havia muitos problemas fí-
sicos e estruturais, além de pouco
dinheiro para investimentos”, dis-
se Milton Ura, atual diretor finan-
ceiro.
Mesmo com este panorama ad-
verso, uma diretoria encabeçada
pelo padre Rui Rodrigues assumiu
a Clínica PAI visando a transfor-
mação do local – com suporte do
Judiciário.


INÍCIO DA
TRANSFORMAÇÃO
Entre os principais problemas
encontrados pela atual diretoria
em agosto de 2018, foram a falta de
profissionalização para o bom fun-


Fundada em 1.969, Clínica PAI passa por reestruturação em Adamantina | Foto: Divulgação/Clínica PAI

Há dois anos nova gestão


marcou início da fase de


reestruturação do hospital


psiquiátrico de Adamantina


cionamento do hospital e a estrutu-
ra física, que apresentava necessi-
dades urgentes de intervenção.
Para melhorar o suporte pro-
fissional, membros da diretoria e
padre Rui visitaram hospital simi-
lar em Pirajuí (SP) para verificar o
modelo de gestão. Novos colabora-
dores e técnicos foram contratados,
além de melhorar o sistema de ge-
renciamento da Clínica PAI.
Atualmente toda a gestão é rea-
lizada no local, desde a administra-
ção até os recursos humanos. São
120 funcionários que se revezam 24
horas por dia para o atendimento
dos 144 leitos do hospital – 100%
conveniados via SUS (Sistema Úni-
co de Saúde).
Já para resolução do segundo
problema, as falhas estruturais e
funcionais do hospital, a diretoria
contou com apoio da comunidade
de Adamantina e região, que deu
suporte para a construção deste
novo modelo de gestão.
As inúmeras ações sociais enca-
beçadas por empresas, entidades,
igrejas de diversas denominações
e a população em geral possibili-
tam economia de gastos, como, por
exemplo, na alimentação. “As do-
ações permitem que o recurso
destinado pelo SUS seja também
revertido para as melhorias. A ver-
ba enviada pelo Governo Federal é
suficiente para os gastos da Clínica,
mas, no atual momento, precisa-
mos remodelar toda a estrutura do
hospital, por isso nossa gratidão a
toda comunidade que possibilita
com as doações que este projeto
saia do papel”, destaca Ura.

A Clínica PAI também realiza
obras provenientes dos alvarás dos
moradores (pacientes fixos), libera-
dos com a finalidade de melhoria
da qualidade de vida dos mesmos.
Os recursos são destinados pelo
Poder Judiciário mediantes presta-
ção de contas. Ao todo, são 49 mo-
radores, sendo em sua maioria de-
samparada de familiares e que há
longos anos reside na instituição.
Outros recursos (R$ 350 mil)
destinados por deputados também
permitem melhorias no local.
Até o momento já foram reali-
zadas troca de telhados, reforma de
banheiros, remodelação das alas
(separação entre os moradores,
psicóticos e dependentes quími-
cos), construção de pátios e refei-
tório, entre outras melhorias alia-
das ao atendimento humanizado e
suporte médico realizado por seis
especialistas de diversas áreas.
“A contabilidade da Clínica é
aberta, transparente. Todos podem
ter acesso. Tratamos aqui como
uma Pastoral Hospitalar, trabalho
voluntário feito de coração para
proporcionar um atendimento
adequado a todos os pacientes e
moradores”, ressalta Milton Ura.

AVALIAÇÃO POSITIVA
Passados dois anos, a diretoria
faz balanço positivo das melhorias
realizadas na Clínica PAI. Mas,
enfatiza que existe muito trabalho
ainda a ser feito.
“Com a transparência, ganha-
mos credibilidade junto à popula-
ção. Muito precisa ainda ser feito.
Precisamos quitar as dívidas, as

WWW.
IMPACTONOTICIAS.COM.BR/


CIDADES ACESSE


Região


REFERÊNCIA


PARA 62


MUNÍCIPIOS


Microrregiões
de Adamantina,
Assis, Dracena,
Marília, Ourinhos
e Presidente
Prudente

144 LEITOS
Atendimento
100% SUS

obras iniciadas são solução de ape-
nas uma parte dos problemas físi-
cos do local. Por isso contamos com
apoio da comunidade da cidade e
região, já que apenas as despesas
operacionais e funcionais são qui-
tadas pelo SUS”, destaca o presi-
dente da entidade, José Neto.
“Nossos agradecimentos e reco-
nhecimento ao trabalho dos colabo-
radores, que se empenham para que
todo este projeto seja efetivado. Os
funcionários da Clínica PAI se dedi-
cam diariamente para proporcionar
o melhor atendimento aos pacientes
e moradores, com afeto e responsa-
bilidade”, complementa Neto.

“A contabilidade
da Clínica é aberta,
transparente.
Todos podem ter
acesso. Tratamos
aqui como uma
Pastoral Hospi-
talar, trabalho
voluntário feito
de coração para
proporcionar
um atendimento
adequado a todos
os pacientes e mo-
radores”, ressalta
Milton Ura.

Clínica PAI consta


em relação do


Ministério da Saúde


RECURSOS COVID-


A Clínica PAI (Polo de Ativida-
des Integradas) em Adamantina
deve receber, em breve, recursos
provenientes do Ministério de Saú-
de para ações de identificação, isola-
mento e prevenção ao Covid-19, dos
pacientes e colaboradores.
Apesar de já anunciado, os cerca
de R$ 2 milhões ainda não estão dis-
ponibilizados para uso do hospital.
Enquanto isso, a diretoria reali-
zada estudos para viabilizar a apli-
cação dos recursos em ações que
estejam diretamente ligadas ao novo
coronavírus, conforme orientação
do Ministério da Saúde.
Free download pdf