IMPACTO - 26-06-2020

(IMPACTO) #1

20
26 DE JUNHO DE 2020


SILVIO GRABOSKI
Apreciador de vinhos
Q:@osantovinho
E O Santo Vinho
1 impactonoticias.com.br/silvio

JOÃO VINÍCIUS
joaovinicius@gimpacto.com.br
Fofos, espertos e conquistadores,
os felinos fazem parte da vida de mi-
lhões e milhões de pessoas ao redor
do mundo, alegrando o dia a dia de
seus cuidadores. Porém, há ainda
muitos animais abandonados pelas
ruas, se reproduzindo e gerando ain-
da mais gatinhos sem lar.
Em Adamantina o problema,
também de saúde pública, é eviden-
ciado em diversos bairros e áreas de
lazer, como Praça dos Patos, pátio da
feira livre e no Residencial Eldorado –
locais onde se concentram gatos sem
lar na cidade.
Na busca de uma solução, ou pelo
menos minimizar as consequências
desta questão, diversas iniciativas in-
dividuais ou em grupo visam propor-
cionar bem-estar para estes felinos,
como, por exemplo, incentivando a
adoção dos gatos.
Uma das ações foi iniciada na últi-

ma semana, que castrará 150 gatos de
rua em Adamantina. Intitulada ‘Meu
Gato de Rua’, o projeto encabeçado
pela Proeste Chevrolet e IEV (Insti-
tuto de Especialidades Veterinárias)
visa contribuir para redução de ani-
mais abandonados na cidade.
O médico veterinário Felipe Pinto
Soares explica que geralmente essa
população animal não é alcançada
pelas campanhas de castração, que
são gatos que não chegam nas clíni-
cas veterinárias por não terem dono e,
quando são capturados, estão muito
debilitados por doenças ou até mes-
mo atropelados.
“A ação surgiu como uma junção
das várias campanhas idealizadas
pelo braço social da Proeste com as

Campanha pretende castrar 150


gatos de rua em Adamantina


População pode contribuir
com a iniciativa adquirindo
camisetas e feijoada

População pode colaborar adquirindo
camisetas pelo valor de R$ 30 | Foto:
Divulgação

Amigos de diversas partes do país se reúnem para compartilhar conhecimentos
| Foto: Divulgação

Empresas e
voluntários se
unem em campa-
nha que pretende
castrar 150 gatos
abandonados
pelas ruas de
Adamantina |
Foto: Gustavo Cas-
tellon/IMPACTO
O charme dos

vinhos rosados


No Brasil o consumo de vinho em
geral é baixo, dos rosados (ou rosé),
ainda mais. Temos certo preconceito
com os rosados, todavia, em muitas
ocasiões, inclusive no inverno, eles
podem ser uma opção charmosa e
deliciosa, também quanto ao custo, já
que encontramos rosés de qualidade
a preços acessíveis. Importante obser-
var que não existem uvas rosés, por
isso, os rosados são feitos com uvas
vermelhas, as mesmas usadas para a
produção dos tintos.
De modo simples podemos dizer
que o processo de vinificação é um
misto da maneira de fazer o branco
e o tinto, iniciando-se com o mesmo
processo do vinho tinto, cuidando-
-se, contudo, para que a maceração
(contato com as cascas) não seja muito
longa, estendendo-se somente até que
se atinja a coloração desejada.
Também é possível produzir rosé
a partir da mistura de vinhos brancos
e tintos, mas essa técnica resulta em
vinhos menos interessantes, além
de ser de difícil manejo, fora que em
alguns países e em algumas regiões
essa técnica é proibida.
Os rosados apresentam colora-
ções distintas, mais discretas, como
da cor de casca de cebola, ou mais
escuros, como de tons de groselhas.
Essa diferença de cor depende do
processo de elaboração, de acordo
com o período que as cascas das uvas
passam em contato com o suco e é
uma decisão do enólogo. Quanto mais
escuro o vinho, maior foi o contato.
No paladar os vinhos rosés variam
de seco a doce. Os vinhos mais claros,
por serem mais suaves, combinam
bem com frutos do mar, peixes leves
e saladas e os mais escuros, com mais
corpo, podem acompanhar perfeita-
mente carne de porco, massas e car-
nes grelhadas. Os rosés também são
uma boa pedida para acompanhar
pratos da cozinha japonesa. Pizzas de
atum, aliche e frango com catupiry
também se portam muito bem quan-
do escoltados pelos rosados.
Os principais países produtores
de rosés são a França, Itália, Esta-
dos Unidos e Espanha. Os rosés
da França são secos e provenientes
principalmente de Provence e Lan-
guedoc-Roussillon. O vinho típico
é um blend produzido com as uvas
Grenache e Syrah. Na Itália temos o
Rosato, elaborado com uvas nativas
do país. O novo mundo e o Brasil
também produzem bons vinhos
rosados. O destaque da coluna é para
o vinho Garofoli Komaros Marche
IGT Rosato 2018, italiano, produzido
com a uva Montepulciano. A forma
de vinificação resultou em um vinho
de cor suave, com notas de cereja e
morango, com bom frescor e acidez,
indicado como aperitivo ou para
acompanhar massas leves, peixes ou
embutidos. Tem bom preço no site da
Grand Cru, R$ 55,93.

campanhas do IEV voltadas para
o bem-estar animal”, explica o pro-
fissional, que enfatiza o importante
apoio de diversas empresas e volun-
tários.
A campanha pretende sensibili-
zar não apenas os simpatizantes pela
causa animal, mas toda a população,
já que é atingida pelo problema de
gatos de rua. “Com o projeto encon-
tramos uma forma para que todos
possam ajudar e, ao mesmo tempo, se
beneficiar com os resultados”, disse.
Quem deseja contribuir com a
campanha pode adquirir uma cami-
seta do Pets Proeste pelo valor de R$
30 (vários tamanhos e cores) ou com-
prando uma feijoada, por R$ 40 (refei-
ção para duas pessoas e entrega em 2
de agosto).
Já aqueles que sabem de animais
abandonados pela cidade, podem
agendar a castração dos gatos de for-
ma gratuita pelo celular: (18) 99623-
7403.
Os felinos mais ferais serão de-
volvidos para o lugar onde eles estão
acostumados, pois dificilmente se
adaptam em outro ambiente. Os que
forem mansos serão colocados para
adoção responsável.

Adamantinense participa de grupo de


desenvolvimento pessoal que agrega


pessoas de todo o Brasil


‘AMIGOTERAPIA’


DAYANE MILANI
dayane@gimpacto.com.br
Durante treinamento para o
desenvolvimento humano na ci-
dade de Campinas, o adamanti-
nense Anderson Santos Pereira e
um grupo de quatro pessoas deci-
diram se encontrar semanalmente
nas redes sociais para ajudar um
ao outro nos momentos difíceis.
A ideia tomou forma e o grupo


  • composto por pessoas de diver-
    sas partes do país e das mais varia-
    das profissões – resolveu expandir
    e ajudar outras pessoas.
    O ‘Amigoterapia’ surgiu há cer-
    ca de um ano e agrega 35 pessoas,
    que recebem conteúdos diversos
    por meio de um grupo no aplicati-
    vo Telegram. O grupo envia conte-
    údos de autoajuda semanalmente
    aos participantes.
    Os amigos se encontram duas


vezes na semana para preparar
conteúdos que serão enviados pelo
Telegram. O encontro do ‘Amigo-
terapia’ acontece uma vez por mês.
Interessados em participar do
‘Amigoterapia’ devem ter instala-

do no celular o aplicativo Telegram
e por meio acessar o link https://t.
me/amigoterapiaon. O ‘Amigote-
rapia’ também tem uma página no
Instagram, onde um link na bio di-
reciona ao grupo.

IMPACTO +

Free download pdf