IMPACTO - 03-07-2020

(IMPACTO) #1

14
3 DE JULHO DE 2020


Academias se unem e devem


apresentar proposta de


reabertura para Prefeitura


de Adamantina


JOÃO VINÍCIUS
joaovinicius@gimpacto.com.br


Donos de academias de Adaman-
tina se reuniram, na terça-feira (30),
na sede do Sincomercio, para debater
proposta que pede a reabertura do
segmento quando a região retomar
a flexibilização das atividades não
essenciais. O ramo está paralisado
desde o fim de março, sem previsão
de volta.
Os empresários utilizam como
base para o pedido decreto do pre-
sidente Jair Bolsonaro (sem partido)
que colocou as academias na lista de
serviços considerados essenciais du-
rante a pandemia do novo coronaví-
rus – porém, a medida não foi seguida
pelo Governo do Estado e nem pela
Prefeitura de Adamantina.
Outras argumentações, segun-
do o educador físico Rafael Gomes
Inácio, são de que as academias são
ambientes que promovem a saúde e o
sistema imunológico, sendo também
fortes geradoras de emprego.
“Sabemos da seriedade que pre-
cisamos ter mediante a pandemia e


entendemos que ordens como lock-
down devem ser acatadas, porém, ao
se tratar de serviços essenciais, temos
valores a isso também. Muitos de nos-
sos alunos falam o quanto faz falta
treinar, peso aumentando, autoesti-
ma baixa e muitos que precisam fazer
fortalecimento seguindo recomenda-
ções médicas, então, temos valor sim,
a saúde”, diz o instrutor físico.
Na reunião os profissionais enfa-
tizaram que seguirão os protocolos
definidos pelo Cref (Conselho Regio-
nal de Educação Física), que seguem
as recomendações da OMS (Organi-
zação Mundial da Saúde).
“Apresentaremos uma alterna-
tiva para o retorno, com segurança,
das atividades. Um advogado está
elaborando a proposta jurídica, com
base nos critérios de saúde, que será
apresentada ao prefeito Márcio Car-
dim (DEM). Esperamos uma sensi-
bilização do Poder Executivo”, diz o
educador, que também questiona a
fiscalização rigorosa envolvendo o
setor. “Não podemos nem abrir uma
porta, para gravar um vídeo para os
nossos alunos, que já somos fiscaliza-
dos”, pontua.
“Seguiremos todas as medidas
de distanciamento, higiene, restri-
ções no número de alunos por hora/
aula e capacidade de atendimento,
dentre outros protocolos visando
garantir a segurança dos usuários”,
complementam.

Donos de acade-
mias e profissio-
nais da educação
física se reúnem
para retomada
do segmento
em Adamantina
| Foto: Arquivo
Pessoal

Grupo busca sensibilizar au-


toridades para que possam,


obedecendo os mais rígidos


protocolos de segurança,


retornar às atividades


Adamantina


WWW.
IMPACTONOTICIAS.COM.BR/

ACESSE ADT


O trabalho em defesa dos animais


abandonados em Adamantina


Há quem adora cães e
àqueles que amam gatos,
mas independente disso,
sabemos que esses ani-
maizinhos são os nossos
melhores amigos e com-
panheiros para toda hora.
No entanto, muitos desses
são abandonados como se
fossem um objeto descar-
tável. Eles ficam expostos
a todo tipo de condição:
fome, frio, maus-tratos,
atropelamentos e outros
fatos terríveis, além de se
procriarem com tamanha
rapidez na rua, especial-
mente os felinos. Em Ada-
mantina, são inúmeros
os casos de abandono e os
motivos conhecemos bem:
velhice, doença, compra
ou adoção por impulso,
descarte após o nascimen-
to, enfim, meras desculpas
incabíveis.
Pensando nessa triste
realidade, diversas pessoas
e/ou grupos estão enga-
jados na causa animal na
nossa cidade, como é o
caso do Apelos e Patas e da
Pets Proeste.

APELOS E PATAS
A Associação Apelos
e Patas surgiu em meados
de 2014 de maneira singela,
com o intuito de proteger e
socorrer cães em situação
de rua abandonados por
seus donos. Além disso, o
grupo atua no resgate de
animais feridos ou em ris-
co, recuperação e adoção.
Atualmente, o Apelos e
Patas é considerado uma
ONG (Organização Não
Governamental) sem fins
lucrativos.
A associação possui
um abrigo instalado na
antiga escola São Judas
Tadeu no Parque Iguaçu
e, segundo sua presidente,
Ana Carolina Alencar
Garcia, “esse abrigo é
pequeno e não tem espaço
para abrigar muitos ani-
mais, por conta disso, todo
o trabalho é feito de forma

A campanha
meu gato de rua
pretende castrar
150 animais
podendo chegar
há 300 castrações
até o final
do ano.

Q:@caio__perroni
E Caio Perroni
1 impactonoticias.com.br/caio

rotativa, ou seja, um cão
saudável com boas condi-
ções físicas e psicológicas,
é colocado para adoção
e quando concretizada,
um novo animal pode
ser abrigado e receber os
devidos cuidados”. Ana
pontuou também, que
a prefeitura cedeu um
terreno para a construção
de um local mais amplo,
no entanto, em virtude da
pandemia da Covid-19, não
foi possível iniciar as obras
do novo lugar.

PETS PROESTE
Pets Proeste é um
braço social da Proeste
concessionária Chevrolet,
que tem como objetivo
prestar à comunidade uma
compensação de tudo o
que é obtido pela empresa
por meio de vendas e pós
vendas de veículos.
Dentro disso, existe
uma iniciativa que busca
angariar recursos com a
venda da feijoada benefi-
cente e vendas de camise-
tas que serão revertidos à
castração de gatos de rua.
“A campanha meu gato de
rua pretende castrar 150
animais podendo chegar
há 300 castrações até o
final do ano. Dessa forma,
é muito importante a ade-
são de mais e mais par-
ceiros (outras empresas)
que se identifiquem com
a causa, além é claro do
apoio do público geral”,
conta Leandro Tadeu Al-
ves da Silva, responsável
pela campanha e gerente
operacional da Proeste
Chevrolet.
Leandro destaca ain-
da, que a campanha tem o
propósito de atingir duas
vertentes: a de pessoas
que se sensibilizam com
a causa animal e também
a de pessoas que não se
interessam pelo assunto,
mas se sentem incomo-
dadas com os animais
em situação de rua.

CAIO PERRONI
Articulista

Muitos de nossos
alunos falam o
quanto faz falta
treinar, peso au-
mentando, autoes-
tima baixa e muitos
que precisam fazer
fortalecimento
seguindo recomen-
dações médicas,
então, temos valor
sim, a saúde”.
Free download pdf