PCGuia275-Dezembro-2018-opt

(NONE2021) #1
50 / PCGUIA

O QUE SÃO PACOTES FLATPAK?

Os Flatpaks são uma estrutura criada para
desenvolver aplicações empacotadas,
ou, contentorizadas e foram criados por
Alexander Larsson, que trabalhou na Red
Hat e aplicou o seu conhecimento em
projectos de contentorização, criando
assim primeiramente o projeto com o nome
‘xdg-app’, o actual Flatpak.
Sendo um projecto independente,
não existe qualquer associação a uma
organização ou empresa. Não existem
requisitos rígidos no que toca à linguagem
de programação usada para o desenvol-
vimento destes pacotes; existem, sim,
algumas regras no desenvolvimento
de Flatpaks de código proprietário,
em especial em alguns serviços de
distribuição, como o Flathub.
Portanto, alguns destes pacotes podem

ter código proprietário, assim como
acontece com os snaps, e têm tudo o que é
preciso para a aplicação funcionar, como
bibliotecas compartilhadas, bibliotecas
que automatizam tarefas, sem afectar o
funcionamento, quer do sistema, quer da
aplicação, mesmo após actualizações que,
normalmente, são necessárias.
Actualmente, a Gnome e a KDE são duas
grandes plataformas de desenvolvimento
que têm contribuído muito para a criação
de Flatpaks, o que ajuda a fazer com que
exista uma maior compatibilidade no
seu ambiente gráfico nativo, já que são
incluídas nas novas versões dos gestores de
pacotes gráficos como o Gnome Software
e Discover. Este último, em ambiente KDE
Plasma, instala-los sem o recurso à linha
de comandos, o que é óptimo.
Podem procurar quais os pacotes
disponíveis directamente no site oficial

da Gnome e KDE, para saber quais
as aplicações que foram e estão a ser
desenvolvidas por eles, ou usar um outro
serviço de distribuição destes pacotes
como o Flathub, que centraliza tudo num
só local: flathub.org/home.

O QUE SÃO PACOTES?

Estes pacotes distinguem-se dos Flatpaks
e dos Snaps por usarem apenas um ficheiro
empacotado, também com tudo o que é
necessário para funcionar, oferecendo
maior segurança ao sistema, visto que o
mesmo se mantêm inalterado, assim como
acontece com as outras duas opções.
Uma das diferenças é que não obriga à
instalação, por isso não é necessário ter
privilégioa de administração, mas sim fazer
o download desse único pacote e torná-lo
executável, como vão ver no guia deste
mês. Este tipo de pacotes lembra-me o
funcionamento de aplicações portable para
Windows, que também podem ser usadas
sem instalação no sistema operativo.
Os pacotes AppImage têm características
mais portáteis que os Flatpaks e Snaps;
podem ver os disponíveis em appimage.org.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

As vantagens dos Flatpaks são idênticas
aos Snaps: vêm unificar a instalação
de aplicações nas distribuições Linux,
facilitando a vida aos utilizadores, que
não tem de se preocupar com bibliotecas
e dependências. Além disso, há uma
maior segurança, porque recorrem ao
mecanismo de sandboxing, que actua
numa área restrita, à parte do sistema,
impedindo que, de alguma maneira, afecte
o sistema ou outras aplicações. Os pacotes
Flatpak são menores em comparação aos

Os pacotes flatpak e Appimage, são outras alternativas para instalar aplicações
em Linux. Nesta edição vou falar sobre o que são e quais as diferenças entre elas.

USAR PACOTES FLATPAK


E APPIMAGE PARA INSTALAR


APLICAÇÕES EM LINUX


POR ANDRÉ PAULA

LINUX
LINUXTECH.PT
Free download pdf