(Antfer) #1

JornalValor--- Página 2 da edição"23/03/20201a CADA" ---- Impressa por vdsilva às 22/03/2020@20:33:0 8


A2|Valor|Sábado,domingoe segunda-feira, 21, 22, 23 de marçode 2020


Brasil


Editora Globo e seus veículos lançam


a campanha “A poieo negócio local”


EDILSONDANTAS/AGÊNCIA O GLOBO

Lojas fechadasna rua JoséPaulino,em São Paulo, devidoà crisedo coronavírus:campanhaapoianegócioslocais


De São Paulo


Compredo pequeno, compre
local. Mais do que apelospara es-
timularempreendedores,ações
nesse sentidosão hoje imperati-
vas paraa sobrevivênciade uma
grande parcela da população
brasileiraetambémparaaeco-
nomiadopaís,fortementeabala-
dapelacrisedocoronavírus.
Coma campanha“Apoie o ne-
góciolocal”,osjornais“OGlobo”,
“Ex tra” eValore as revistas“Pe-
quenasEmpresas &GrandesNe-
gócios”e“ÉpocaNegócios”refor-
çam apartir de hoje a mobiliza-
çãoemtornodestapropostaque,
no atualquadrode pandemiae
crise,édeutilidadepública.
Apartir de vários conteúdosnas
plataformasdessasmarcas,quees-
tarãodisponíveis a partir de sema-
naquevem,ainiciativatemoobje-
tivodeinspirarpessoaseempresas
a ajudarempreendedores enegó-
cios de pequeno porteaa travessar
o atual períodode emergência. A
ideiaéreforçaramensagemde
apoioemultiplicá-laparaosdiver-
sospúblicosdosveículos.
As microempresas eas de pe-
quenoporte, que segundo oServi-
çoBrasileirodeApoioàsMicroe
Pequenas Empresas (Sebrae) so-
mam99% do total de empresasno
país, representamhoje 27% do PIB.
De acordocom aestimativa, refe-
rente a2019, elas respondempor
54% do emprego formal e 44% da
massasalarialdosbrasileiros.
Pequenas ações,comopagaran-
tecipadamente serviços que não são
urgentes —oconserto de um parde
sapatosou um cortede cabelo, por
exemplo —ou priorizar o mercadi-
nho de bairrona hora das compras,

sãoreforçosimportantesparaosne-
gócios. Se o consumidor prestigiar o
comérciode vizinhança quando
houvernecessidade de uma compra
presencial, isso ainda ajudará acon-
teracirculaçãodepessoasnestemo-
mentocríticodesaúde.
O engajamento de grandes em-
presas, que têm maisfôlego para
enfrentar períodosturbulentos,
tambéméessencialparaasobrevi-
vência das operações de menor
porteapartir do apoio a clientes e
fornecedores.
Aocolocarsuasmarcasase rviço
dessa iniciativa, aEditoraGlobo
reforça ocomprometimento que
temcomospúblicoshojemaisvul-
neráveis àcrise. Comquase 95
anos, “O Globo”tem esse histórico
de apoio aosnegócios locais no
Rio, não apenasem seu noticiário
principal, mas também com pro-
dutos específicos. Em 1963, por
exemplo, lançou o “Rio de bairro
em bairro”, que foi o embrião dos
JornaisdeBairro, criadosem1982.
Os Jornais de Bairro cumprem o
papel de dar voz a pequenos e mé-

dios comerciantes e profissionais
liberais, que falam diretamente
comseupúblicolocal.
O“Extra”, ojornal popularmais
lido do país, tem um conteúdo
muitovoltadoparaomicroempre-
endedorismo desde seu lança-
mento, há 22 anos. Há um foco em
reportagenssobreserviçosparaes-
se público e relatos de histórias de
microempreendedores.
Fundadahá 31 anos, “Pequenas
Empresas &Grandes Negócios”
reúne hoje a maiorcomunidade
de empreendedores do Brasil, ex-
pressa nos maisdiversosgrupos,
comostartups, franquias, mulhe-
res empreendedoras, microem-
preendedores e negócios sociais.
Nestemomento, em que inovar
deixadeser algo desejável para as
empresasepassaaser questãode
sobrevivência, “Época Negócios”
tambémse colocacomoplatafor-
ma que une negócios nascentes a
corporações.Decifrar essa dinâmi-
ca de colaboração entre startups,
investidores e grandes marcas de-
ve ser a tônica da cobertura da re-

vista,que tem por missão oferecer
inspiração para inovar. Somadas,
as redessociais das duasmarcas
chegama maisde 10 milhõesde
fãseseguidoresespontâneos.
OValor,que completa20anos
em maio,fala diariamentesobre as
operações de empresas de todos os
tamanhosesetoreseolhamaisdeta-
lhadamente paraos negócios de
menor porte em suplementos espe-
ciais, como a sériePequenas eMé-
diasEmpresas,eeminiciativascomo
Os Fundadores, de vídeos que apre-
sentam atrajetória de startups.Co-
mo parteda campanha,ojornal vai
publicarreportagens sobreopera-
çõesde empresas que incorporam
apoio afornecedores eclientes que
têm menos fôlego para o atualpe-
ríodo.Grandesempresas, que mui-
tas vezesgarantem a sobrevivência
de negócios locais ligados à sua ca-
deiaprodutiva, podemajudar tanto
comaçõesdiretamente relaciona-
das a comprasou vendas, quanto
comaexperiência de suas equipes
paraauxiliaragestão dos empreen-
dimentosdemenorporte.

AenaB
AirbusB
AldiB
AlliarB
AlmavivaB
ÂnimaB
ASABankA
AtentoB
B3C
BancoDaycovalC
Bancodo BrasilC1, C
Bankof AmericaC
BBMLogísticaB
BlackRockC
BMAAdvogadosB
BMWB
BNDESA4,B10,C
BNPParibasC1, C
BoeingB
BombardierB

BPB
BradescoC
BridgewaterC
BTG PactualC
BV AssetC
CaixC
CaixaC
Caixa SeguradoraC
CaoaCheryB
CasinoB
ChediakAdvogadosB
CitiC
CNPC
CSNC
CuraB
DasaB
DaycovalC2, C
DuratexB
Editora GloboA
EDPEnergiasB

EletrobrasB5, C
EmbraerB
EquinorB
ExxonMobilB
FG/AB
FiatChryslerB
FordB
GAMC
GasEnergyB
General MotorsB
GoldmanSachsA2, C
GrupoKallasC
HarrisonInvestimentosC
HondaB
HyundaiB
IDadosA
InsperA
InveparB
ItaúC1, C
J.P. MorganA2, C1, C

Jacoby Fernandes&
ReolonAdvogados
AssociadosA2, A
KlabinB
LCA ConsultoresA
LinxB
LocalizaC
Lojas RennerC
MAG InvestimentosC
MAG SegurosC
Mercedes-BenzB
MercurioPartnersB
MinervaB
Moody’sB
Morgan StanleyC
MRVC
NCHCapitalC
NissanB
Novus CapitalC
Oxford EconomicsC

Paraná BancoC
PetrobrasB5, B
PetroRioB
PortobelloB
PrevisulC
PSAPeugeotCitroënB
QuantitasC
RolandBergerB
RumoB
ScaniaB
SinartB
SocicamB
StefaniniB
StoneC
SuzanoC
TaesaC
TalensesGroupB
TD SecuritiesC
Terra InvestimentosC
ThymosEnergiaB

TotalB
ToyotaB
TransmissãoPaulistaC
Trinity EnergiaB
UBSC
UniparB
UsinaAltaMogianaB
ValeB1, C
Verde AssetC
VikstarB
VolkswagenB
VolvoB
Wood MackenzieB
XP Inc.C
XVV –Xavier Vasconcelos
ValerimCorrêaDe Paula
A
YouseC
YubbC
ZurichAirportB

Índicede empresascitadasemtextosnestaedição


SergioLamucci


Crise requerações


maisousadas


Dinheiro precisa


chegara informais e


a pequenasempresas


A


disseminaçãodo
coronavírusvai
causarumchoque
violentona
economia
brasileiranesteano,refletindoa
combinaçãodoimpactodas
medidasdedistanciamento
socialsobreaatividade
domésticaedoefeitonegativo
dapandemiasobreaeconomia
global.OBrasildeveráteruma
recessãonoprimeirosemestre,
comoPIBencolhendonamédia
doano—oJ.P.Morganespera
umaquedade1%,oGoldman
Sachs,de0,9%,enquantoo
diretordoASABank,Carlos
Kawall,ex-secretáriodoTesouro
eex-diretordoBNDES,projeta
umaretraçãode3%.
Essecenárioexigerespostas
firmesepoucocomunsdas
autoridades,envolvendoações
doMinistériodaEconomia,do
BancoCentral(BC)edosbancos
públicos.Numasituação
emergencialcomoessa,são
necessáriasaçõesextraordinárias,
quejustificamaelevação
temporáriadosgastospúblicos.É
preciso,semdúvida,evitara
tentaçãodeaumentardespesas
demodopermanente,masesse
risconãopodelevarauma
atuaçãotímida.Aatividadevai
despencarnospróximosmeses,
comprometendoespecialmente
arendadetrabalhadores
informaiseareceitademicroe
pequenasempresas.

Comasmedidasderestrição
impostasàcirculaçãode
pessoas,aatividadeteráuma
fortequedanaspróximas
semanas,atingindo
especialmenteospequenos
negócios.Éimportanteque
essasempresastenhamacesso
facilitadoalinhasdecapitalde
giro,paramanterofôlegono
períododeconfinamento.Os
bancospúblicospodemterum
papelimportantenatarefa,
nummomentoemqueháo
riscodeocréditoprivadofaltar.
Permitirqueasempresas
adiemorecolhimentodemais
impostos,comoogovernofez
comostributosfederaisdo
SimplesNacional,éumaoutra
opçãoparadarumalívio
financeiroparacompanhiasque
podemperdertodaouquasetoda
areceitaporalgumassemanasou
meses,adependerdaextensão
dasmedidasdequarentena.
Outramedidafundamentalé
garantirrendaaosinformais.Na
semanapassada,oMinistérioda
Economiaanunciouqueessa
parceladostrabalhadoresterá
direitoaR$200portrêsmeses,
benefícioquepodeatingirde
milhõesa20milhõesdebrasileiros.
Ainiciativavainadireçãocorreta,
maspodesernecessárioatingirum
númeromaiordepessoaseelevar
umpoucoovalor.Acabarcomas
injustificáveisfilasdeacessoao
BolsaFamíliaeaosbenefíciosdo
InstitutoNacionaldoSeguroSocial
(INSS)tambéméprimordial.
Nofrontmonetário,oBCainda
temmunição.Osjurosestão
baixosparapadrõesbrasileiros,
comaSelicem3,75%aoano,mas
háespaçoparaataxacairmais.O
Brasilviveumquadrodiferente
doobservadonospaíses
avançados,ondeosjurosjáestão
nochãoouabaixodezeroeos
bancoscentraisadotam
programasdecomprasdeativos,
paramanterbaixasastaxasde
longoprazo.Ainflaçãoporaqui
segueextremamente
comportada,ehápossibilidade
deoÍndiceNacionaldePreçosao

ConsumidorAmplo(IPCA)ficar
abaixode2,5%nesteano,opiso
dabandadetolerânciadameta.
Jurosmaisbaixosaindatiram
algumapressãodadívida
pública,quedeveterumanode
altaem2020.Oendividamento
brutotemtudoparavoltara
subirnesteanocomoproporção
doPIB,devidoaotomboda
economiaeaoaumentodo
déficitprimário(receitasmenos
despesas,semincluirgastoscom
juros).Noquadroatual,porém,
oaumentodadívidabrutanãoé
grave,aindaqueelaestejaem
76%doPIB,umnúmeroelevado
paramercadosemergentes,que
têmumendividamentomédio
nacasade55%doPIB.
A situaçãodelicadada
economiajustificaa elevaçãode
gastose tornaa piorafiscalum
aspectosecundário, desdeque
existao cuidadopara não
aumentardespesasde modo
permanente.Para enfrentara
pandemia,será necessárioelevar
expressivamenteas despesascom
saúde—algo que é permitido
pelo teto de gastos,o mecanismo
que limitao crescimentodos
dispêndiosnão financeirosda
União. O teto permitea abertura
de créditosextraordináriospara
gastoscomoos que terãode ser
feitosnum quadrode
emergênciacomoa atual.
Ospróximosmesesserãomuito
complicadosparaaeconomia
brasileira,aexemplodoque
ocorrenomundo.Ochoque
produzidopelapandemiade
coronavírusafetaaomesmo
tempoaofertaeademanda.A
expectativadominanteéquea
atividademergulhe
abruptamenteecomecease
recuperaralgunsmesesdepois,
mashámuitaincertezasobre
quandoecomovaiocorrera
retomadadepoisdotombo,que
deveseconcentrarnosegundo
trimestre.Fazerodinheirochegar
atrabalhadoresinformaise
pequenasempresasétalvezo
maiordesafio,sendocrucialpara
atenuaroimpactodacriseeevitar
umarecessãoaindamaisforte.
Emtextopublicadonoblog
doInstitutoBrasileirode
EconomiadaFundaçãoGetulio
Vargas(Ibre/FGV),oeconomista
SamuelPessôadáumaoutra
ideiaparaenfrentaroproblema
daenormequedanaatividade
econômicanoperíododemaior
distanciamentosocial.Paraele,
nãofazsentidomanteras
rendasmonetáriasinalteradas
nessecenário.Seissoocorrer,
“começaráaaparecerum
excessoderecursosfinanceiros
frenteàprodução,que
contribuiráparadesorganizara
economia”,avaliaPessôa.
“Assim,éirrealquetodosos
contratossemantenham
inalteradosequetodasas
rendassemantenham
inalteradascomaprodução
parada.Aquipodemosimaginar
umredutor.Todasasrendasa
partirdeumpisodevemser
cortadasemumaparcela.Todos
ossalários,inclusivedosetor
público,etodososaluguéis.O
mesmoaplica-separaas
mensalidadesescolaresede
clubes,porexemplo”, afirmaele.
“Jurosreaisdevemteromesmo
redutor.Omesmonãoseaplica
àsrendasvariáveis,lucrose
dividendos,poisserão
naturalmentereduzidas.”Isso
valeriaporumprazocurto,
enquantoduraremasmedidas
maisdurasdequarentena,
segundoPessôa.Comaadoção
daproposta,haveriatambém
umapiorafiscalmenosintensa,
dizopesquisadordoIbre/FGV,
avaliandoque,dada“a
excepcionalidadedomomento,
seriapossívelencontrarfigura
jurídicaquedessesuportea
umaaçãodessanatureza”.
Adramaticidadedocenário
requeraçõesmaisfortese
ousadasdasautoridades,eé
possíveltomá-lassem
comprometerestruturalmente
ascontaspúblicas.Demorar
paraagircommais
determinaçãopoderáterum
custoelevado.

Sergio Lamuccié editor de Brasil e
escreve quinzenalmente
E-mail:sergio.lamucci@valor.com.br

Governopoderácomprar atédefornecedorinidôneo


Lu Aiko Otta
De Brasília

No enfrentamentoda pandemia
da covid-19, os governos federal, es-
taduais e municipais poderão com-
prar benseserviços necessáriosàs
ações de saúde sem licitação e em
condições excepcionais, até mesmo
de fornecedores declarados inidô-
neosoucompendênciasfiscais.Are-
gra está na Medida Provisória (MP)
926,editadananoitedesexta-feira.
O texto, quesimplifica o processo
especificamente para ocombate ao
coronavírus, diz que, “excepcional-
mente, será possívelacontratação
de fornecedora de bens, serviços e
insumos de empresasque estejam
com inidoneidade declarada com o
direito de participar de licitação ou
contratarcom o Poder Públicosus-
penso, quandose tratar, comprova-
damente, de únicafornecedora do
bemouserviçoaseradquirido.”
Umaempresa podedeclarada

inidônea quando deixa de cum-
prirocontrato de fornecimento
com ogoverno —quando nãoen-
tregaamercadoria,porexemplo.
“É um dispositivo excepcional”,
disseaoValorosecretáriodeGestão
do Ministério da Economia, Cristia-
no Heckert. AMP tambémpermite
comprar de fornecedores que se en-
contremem situação irregular com
o Fisco. Essas formalidadesforam
suspensas temporariamente —nes-
se caso específico, paradar mais ve-
locidadeaoprocessodeaquisição.
Osecretáriodisseque,paradeter-
minar se um fornecedor inidôneoé,
defato,oúnicodisponível,seráleva-
da em conta“a realidadeconcreta”
do produto ou serviço naquela loca-
lidade. “Estamos falando de uma si-
tuaçãodecrise”, afirmou.“Sepressu-
põe boa-fé da autoridade e é preciso
darobenefíciodadúvidaaogestor.”
A inexistência de outrosfornece-
dores,disse ele, será comprovada
pelos meiosdisponíveis. “No limite,

umaautodeclaração”. As compras
não estarãolivresde verificaçãope-
losórgãosdecontrole.Masasfiscali-
zaçõeslevarãoemcontaomomento
excepcionalemqueforamfeitas.
“Parece-meque a MP buscou já
disciplinar um eventual conflitoen-
tre a‘moralidadede se contrataral-
guéminidôneo’versus ‘necessidade
pública pelo bemou serviço aser
contratado’”, disseoadvogado Luís
Felipe ValerimPinheiro, professor
deDireitoAdministrativodaFunda-
ção Getúlio Vargas (FGV) esócio do
escritório XVV –Xavier Vasconcelos
Valerim CorrêaDe Paula. “A regra
prestigiaasegundasituação.”
O ponto centralda aplicação será
a fundamentação que o gestor terá
de apresentar,caso acaso, avalia. Ele
diz que a MP coloca duasexcepcio-
nalidades para que essa compra
ocorra: a pandemiaeofato de ser
fornecedorúnico. Osegundo caso,
porsi,jádispensariaalicitação.
“É um risconecessário”, comen-

tou o Murilo Jacoby, diretor jurídi-
codoescritórioJacobyFernandes&
ReolonAdvogadosAssociados,um
especialista em licitaçõespúblicas.
“Achoquefoiumaboapedida.”
Ele explicou que MP 926 comple-
menta a Lei 13.979, editadaem fe-
vereiro, que já tratoude medidas de
combate ao covid-19e dispensou
licitação em diversos casos.AMP
inova ao simplificar processos —
por exemplo, dispensando a com-
provaçãode emergênciaeaapre-
sentação de certidões para a contra-
tação. Outrasmedidas são a dispen-
sa de estudopreliminar para acon-
tratação de bens eserviços comuns.
Eocorte, à metade, dos prazosnas
compras pela modalidadepregão.
Essasregrassão específicaspa-
ra a comprade produtos eservi-
ços usadosno combateàpande-
mia. Os contratosterãoduração
de seis meses, mas poderãoser
sucessivamenteprorrogadosen-
quantohouvernecessidade.

Númerosdecasose mortescontinuama aumentar


Renan Truffi e Leila Lima
De Brasiliae do Rio

OMinistério da Saúdeinfor-
mou ontem que onúmero de ca-
sos confirmadosde coronavírus
no país subiram para1.546.Se-
gundo a Pasta, até atarde de do-
mingotinhamsidoregistradas
25 mortescausadas pela doença.

Em São Paulo já havia 631 casos
confirmados, com 22 mortos;no
Rio de Janeiro,eram 186 casose
três óbitos.Mas,segundoas in-
formaçõesfornecidas,já houve
ocorrênciasemtodososEstados.
Em entrevista coletiva “vir-
tual”paraatualizar os números
de casose mortes, oministro da
Saúde,Luiz Henrique Mandetta,

informouque o governo está
avaliandodistribuirkitsàscama-
das maiscarentesda população
para ajudá-las a combater a
doença e sua propagação. Man-
dettanão deu detalhes,mas deu
a entender que esseskits pode-
rão contarcom leite em pó e bar-
rasdeproteína,porexemplo.
A ideiaé evitar subnutrição,

condição que pode facilitar a
proliferação da doença.Omaior
temoré com a chegadada covid-
19 às comunidadespobres e fa-
velas.Ontemfoi confirmado o
primeirocasode contaminação
na Cidadede Deus,na zonaoeste
doRiodeJaneiro—foiaprimeira
ocorrência da doençaem uma
comunidadecarentenacidade

IMPACTOSDO


CORONAVÍRUS


Canal Unico PDF - O Jornaleiro