(Antfer) #1

indevidas a autoridades, apressou-se em dizer: “Numa das conversas que eu tive com
ele no passado, eu tinha prometido a ele (Toffoli) a história de comer uma paca.
Porque meu pai criava paca. Então, ele tinha ouvido falar dessa história da paca,
porque Lula tinha falado para ele da história da paca. Então, eu prometi para ele que
eu faria essa paca para ele... A paca é o animal mesmo...”. “Paca é paca mesmo.”


A orientação do chefe foi seguida à risca por Adriano Maia, a julgar pelo teor dos e-
mails reunidos pela equipe da PGR e pelo que o próprio Marcelo Odebrecht narrou em
depoimento. Adriano atuou, por exemplo, em uma costura para que a Odebrecht
entrasse nas discussões sobre a construção e a possível privatização do sistema de
saneamento do município paulista de Marília, terra dos Toffoli. Um dos irmãos do
ministro, José Ticiano Dias Toffoli, era o vice-prefeito da cidade à época. Ao reunir
informações sobre o caso, os procuradores concluíram haver indícios de que, em troca
do possível negócio, a Odebrecht se comprometeu a apoiar campanhas de políticos
locais. A empreitada acabaria não dando certo – como mostraremos mais adiante,
depois de um jantar em Brasília em que Toffoli aproximou o irmão de outro
empreiteiro, Léo Pinheiro, a OAS acabou ficando com o projeto.


Tocador de vídeo
https://cdn.crusoe.com.br/uploads/2020/09/VIDEO-2.mp


00:


01:


Apesar de se esforçar para não ser peremptório ao falar das mensagens que lançam
suspeitas sobre a relação com Toffoli, em várias ocasiões Marcelo Odebrecht diz que os
e-mails são claros. Em um deles, ao tratar do esforço contra o cancelamento do
crédito-prêmio de IPI, ele exorta Adriano Maia a “buscar nossos ‘amigos’” na advocacia
da casa e alerta dois diretores do grupo: “Estejam atentos ao DGI decorrente da linha
AM (Adriano Maia). Não costuma ser baixo, até porque o intermediário que me foi
qualificado por eles para negociar estes temas cobra bem a parte dele”. DGI, no
dicionário da Odebrecht, é um acrônimo para despesas gerais indiretas – ou seja,
propina. Para os procuradores, que esmiuçaram a mensagem na peça enviada ao
gabinete de Aras, é uma indicação de que Marcelo entendia que o melhor caminho