PCGuia266-Março-2018-opt

(NONE2021) #1
PCGUIA / 9

Praia das Maçãs


S


abemos, nós os utilizadores Mac, que nada é para
sempre. Refiro-me à vida dos materiais, das nossas
máquinas. Não esperamos que tudo trabalhe
eternamente, que o hardware que comprámos em 1984
ainda funcione (por acaso a maioria das minhas relíquias
ainda funciona), mas caramba, Apple, tenho uma
máquina com sete anos que me serviu fielmente até ser
declarada morta e negada a Assistência. Isto vem lançar
a discussão sobre o prazo de vida de equipamentos que
não custam meros cêntimos. Em média, seis anos depois
do lançamento, a Apple declara-as obsoletas e diz-nos
um patético «temos pena», quando por uma razão ou por
outra necessitamos de assistência.

Algures, em algum momento, o fluxo industrial de peças
para um dado equipamento terá de cessar. Eu até entendo
isso mas, convenhamos: seis anos é demasiado apertado
para que o meu velho companheiro de tantas horas de
trabalho faleça inapelavelmente. E morreu de velhice,
perguntarão?

Não. Morreu de um problema conhecido e reconhecido
por quem o fabricou. O tristemente famoso Síndroma
da Placa Gráfica que levou a que dezenas e dezenas de
portáteis iguais a este vissem substituídas as respectivas
motherboards. A do meu foi substituída após cinco anos
de trabalho. Esperava (sinceramente) que durasse outros
tantos. Não aconteceu. No início deste ano, despediu-se
de mim sem uma carta ou um postalinho. Um e-mail que
fosse.

E o que faz a Apple? Diz-me um não menos patético
«temos pena», traduzido num monte de argumentos
(para mim inaceitáveis) que só significam «compra
outro». Talvez compre. Talvez. Mas iremos discutir até
à última frase do debate sobre o respeito para com o
consumidor.

Mas... mas... tu sabias, Apple, que esta era uma máquina
problemática. Tanto que o sabias que a dada altura foste
tu mesma que substituíste peças que reconhecias como
defeituosas. E já nem falo da Lei que prevê que o material
trocado goze de dois anos de garantia. Garantia essa que
tu negas, fria e secamente. «Temos pena». Também eu
tenho e não é pouca. Porque o dinheiro me custa a ganhar
e acho que aqui não tens razão nenhuma. Nenhuma.
Nunca pensei, dizer-te isto, Apple, mas vamos ver-nos
em tribunal.

Com que então, vintage?


PEDRO ANICETO
aniceto@mac.com

NOVO SENSOR PODE FAZER


COM QUE AS BATERIAS DE CARROS


ELÉCTRICOS CARREGUEM MAIS


DEPRESSA


Pelo menos é esta a visão de
uma equipa de investigadores
da Universidade de Warwick,
em Inglaterra. Nos veículos
eléctricos, um dos maiores
problemas passa pelo
carregamento das baterias,
que continuam a exigir alguma
paciência aos utilizadores
deste tipo de veículos. Os
investigadores desenvolveram
um sensor que permite medir
a temperatura interna das
baterias, acreditando que o
processo de carregamento possa
ser acelerado até cinco vezes.
Este sensor, com fibra óptica, é
projectado para garantir que se

minimiza o sobreaquecimento
das baterias. A preocupação faz
com que os fabricantes tenham
em conta o sobreaquecimento
e reduzam as velocidades de
carregamento. Os testes foram
feitos em células utilizadas em
modelos como o Tesla Model S
ou X, por exemplo.
Os investigadores chegaram
à conclusão de que é possível
carregar as baterias muito
mais depressa, mas que
estes carregamentos rápidos
teriam de ser alternados com
carregamentos ditos ‘normais’,
para garantir a longevidade
da bateria. C. Rocha

ASUS ROG APRESENTA NOVO RATO GLADIUS


n A Asus Republic of Gamers (ROG) lançou um novo rato da gama
Gladius, o Gladius II Origin. Além de um sensor óptico que garante
uma precisão máxima de 12000 DPI, sendo este ajustável através
de um pequeno botão, este rato dispõe de switches Omron que
estão certificados para mais de 50 milhões de cliques sem falhas.
Este rato com interface USB, que mede 126 x 67 x 45 mm e pesa
110 gramas, também está equipado com um conjunto de LED RGB,
compatível com a tecnologia de iluminação Aura Sync,
e, à semelhança de outros produtos Asus ROG, é compatível
com a aplicação ROG Armoury.
O Gladius II Origin, que
proporciona ainda aos
utilizadores até 250 IPS
(inches per second) e uma
aceleração máxima de 50G,
está disponível nas lojas dos
Estados Unidos com um preço
a partir dos 99,99 dólares (80 euros).

SAMSUNG LANÇA SSD DE 30 TB

Free download pdf