(Antfer) #1

JornalValor--- Página 11 da edição"23/03/2020 1a CAD A" ---- Impressapor vdsilvaàs 22/03/2020@21:15:


Sábado,domingoesegunda-feira, 21, 22,23demarçode 2020|Valor |A


Internacional


EUAUmemcadatrêsamericanosestãosobalgumtipoderestrição


Congresso não chega a acordo


para pacote de US$ 2 trilhões


Agências internacionais


Congressistas americanos di-
vergiram ontem sobre um pacote
de cercade US$ trilhões para ate-
nuar o impactoeconômico da
pandemiade coronavírusna eco-
nomiaamericana.Opacotenãofoi
aprovadono Senado, onde demo-
cratasseopuseramaele.Olíderdo
Partido Democrata no Senado,
ChuckSchumer, no entanto,disse
acreditarque as diferenças podem
sersuperadasaindahoje.
Ontemlíderes do Congresso
correram para finalizaroprojeto
de estímulofiscal,mas democra-
tas discordaramde algunspon-
tos e acusaramos republicanos
de seremmuitogenerosos com
asempresasamericanas.
“Do meupontode vista,esta-
mos de ladosdiferentes”, dissea
democrata NancyPelosi,presi-
denteda Câmarados Deputados,
depoisde umanovarodadade
negociaçõescom os republica-
nos ecom osecretáriodo Tesou-
roamericano,SteveMnuchin.
Semum acordo bipartidário,
Pelosidisse que os deputados de-
mocratas seguiriam adiante com
suapróprialeideestímulos.Essas
medidas seriamposteriormente
conciliadas com as propostas re-
publicanas, o que poderia adiara
aplicação dos estímulos e levar
maispânicoaosmercados.

Em uma tentativaurgente pa-
ra limitaras consequênciasda
pandemia,que paralisougran-
despartesdaeconomiamundial,
o Congressoe o governodo pre-
sidenteDonaldTrumptêm tra-
balhadoem um acordoque pro-
porcione rapidamente paga-
mentosdiretosdo governoàs fa-
míliasamericanas eauxílioape-
quenasegrandesempresas.
Na manhãde ontem,Mnuchin
disse que havia um “entendi-
mentofundamental”quantoaos
termosdo pacote entreaCasa
Brancae republicanosedemo-
cratasno Congresso, e que um
acordopoderiaser alcançado até
a noitede ontem.“O presidente
está muitodeterminadoem pro-
tegeros trabalhadoresamerica-
nos. Ordenamosque grande par-
te da economiafiqueinativaeo
presidente quer protegê-los”,
disseem entrevistaao programa
FoxNewsSunday.
Os principaispontosdo paco-
te seriama concessãode créditos
a pequenasempresas,a ser per-
doados quando usados para
mantero empregodos funcioná-
rios,epagamentosdiretosàsfa-
míliasamericanas, cujo valorno
casode umade quatropessoas
poderiachegaraUS$3mil.
O elementomaiscontroverso
do pacote,e que levouos demo-
cratasa recuar,prevê até que US$
500 bilhõespoderiamser usados
paraauxiliargrandesempresas
afetadas pela pandemiado coro-
navírus,além de US$ 50 bilhões
paraajudarasempresasaéreas.

Democratas queremgarantias
de que empresas recebendo ajuda
do governo não possam recom-
praraçõesedequerestrinjamar e-
muneraçãodos executivos. Tam-
bém se opuseram aum ponto pro-
postopor republicanos de adiara
divulgação do nome das empresas
que receberiam oauxílio governa-
mental, argumentandoque isso
significavauma“autoridadesecre-
tapararesgatefinanceiro”.
Porfim, democratasestãodes-
contentesporquecertasorgani-
zaçõessem fins lucrativos, como
centrosde saúdemental, de aju-
da a vítimasde estuproe de pla-
nejamentofamiliarnão estariam
aptosareceberos créditos dire-
cionadosàspequenasempresas.
“No alto da lista,ote xto incluía
grande auxíliofinanceiroàs em-
presas, sem proteções para os tra-
balhadores. Tambémcortava sig-
nificativamente odinheiro que
hospitais, cidades, Estados, traba-
lhadores da área médica e tantos
outros precisariam durante esta
crise”,disseSchumer.
Mnuchindestacouque outro
componenteseriaum “pacote
significativo” para garantir a
“am pla” concessão de emprésti-
mosà economia dos EUApor
meiodo FederalReserve(Fed, o
bancocentraldos EUA),que já
ressuscitouferramentasusadas
durante a crise financeira de
2008 paraimpulsionarocrédito.
“Teremosaté US$ 4 trilhõesde
liquidezquepoderemosusarpa-
ra apoiara economia”, disseose-
cretáriodoTesouro.

Há menosde uma semana,
congressistasemembrosdo go-
vernopensavam em um pacote
em tornoa US$ 800 bilhões, mas
os valoresagora avaliadosso-
mamquaseUS$2trilhões.
Mnuchinprevê que as medidas
se estendam pelas próximas 10 a
12 semanas, mas ressaltou que po-
de ser necessárioapoiofiscal adi-
cional se acrise do coronavírus
persistir. Se ainda não o tivermos
vencido, vamos voltarao Congres-
so”,disseosecretáriodoTesouro.
Com cadavez mais casosconfir-
madosnos EUA,quaseum em ca-
da três americanos estãosob al-
gumtipo de confinamentopara
retardar a propagação do corona-
vírus.OsenadorrepublicanoRand
Paul, que criticou os gastosemer-
genciais com coronavírus, tornou-
se oprimeiro membrodo Senado
americanoatestarpositivo.
Os Estadosde Ohio, Louisiana
eDelawareforamos últimosa
decretar amplasrestriçõesa resi-
dentes.Os três Estadosse juntam
a NovaYork, Califórnia,Illinois,
Connecticute NovaJersey, onde
vivem101milhõesdepessoas.
Em todoopaís foramconfir-
mados33.276 casosde coronaví-
rus,emaisde400mortos.
Economistaspreveemqueda
drásticana atividadeeconômica
nas próximassemanas—algu-
mas previsõesfalamem queda
de maisde 20% do PIB no segun-
do trimestre(leiamaisabaixo).
Foi esse quadro que levoua Casa
Branca e oCongressoa estudar
umnovopacotedeestímulos.

IMPACTOSDO


CORONAVÍRUS


Líderes naALreduzem


tensõese têmchance de


aumentar popularidade


MarsíleaGombata
e Marina Guimarães
De São Paulo e BuenosAires

Em meio ao cenário negativo de
recessãoeincertezasqueocorona-
vírus vem trazendo, alguns líderes
estãoconseguindo reduzir as ten-
sões políticas na América do Sul.
Ao menos por enquanto. No Chile,
apandemiainterrompeu os pro-
testosque se arrastavam desdeou-
tubroe deu um respiro para o pre-
sidente SebastiánPiñera tentar re-
cuperarpopularidade.NaArgenti-
na, ogoverno de Alberto Fernán-
dez, que se via ameaçadopor con-
flito com ruralistas e possível calo-
te da dívida,agoraconseguiu mo-
bilizar o país efez do combateao
vírus aprincipal agenda de seu go-
verno. No Peru, o líder Martín Viz-
carraconseguiureverteraqueda
de popularidade, com 95% dos pe-
ruanosaprovandosuagestãofren-
te à crise. Já BrasileMéxico estão
no caminhoinversoe vivemum
acirramentodastensõespolíticas.
As manifestações que vinham
pedindo a saída de Piñeracessa-
ram, e oplebiscito constitucional,
previstopara 26 de abril, ficou pa-
ra 25 de outubro. O adiamento
deu uma folga paraPiñera conse-
guir mostrar bom manejo da pan-
demiaer everteros12%depopula-
ridadequetemhoje.
“Para oChile, o cenário do coro-
navírusécomo um casalque esta-
va para se divorciar e descobre que
um dos filhos tem câncer. Ou seja,
parao presidente não é umaboa
notícia,maslhedáaoportunidade
de zerartudo, dar boas respostas e
sesalvarpoliticamente”,afirmaPa-
tricio Navia, da Universidadede
NovaYork.“Comesse perigo imi-
nente,as demandas sociais de an-
tesficamemsegundoplano.”
Aindahá críticas ao governoem
relação às medidas tomadas para
conter aepidemia, comodecretar
estadode exceçãoou demorar em
suspender aulas, afirma acientista
política Cecilia Osorio, da Univer-
sidade Alberto Hurtado,emSan-
tiago. No fim de semana, ogover-
nodecretoutoquederecolher.
Mesmo assim,pesquisa recen-
tedoinstitutoCademmostraque
81% desaprovamPiñera, mas 64%
creem que ele tomoudecisões
certasparaconteraepidemia.
“Quandoacrise terminar, as de-
mandas que o pressionavam po-
dem voltar. Mas isso vai depender
do resultado que as medidas to-
madaspelogovernoterão”, dizNa-
via, ao lembrarque o Chile tem
632casoseumamorteatéagora.
Na Argentina, Fernández estava
apontode cumprir os primeiros
100 dias de governo,em 19 de
março, dependendoquase exclu-

sivamente do êxito de umarene-
gociaçãoda dívidacom credores
privados.“Masocoronavírusdeua
ele a oportunidade de mudar o fo-
codesuagestão“,dizaAnaIparra-
guirre,daDynamisConsulting.
Com 225 casose quatro mortes,
a Argentina foi um dos primeiros
paísesda região afechar fronteiras
eimpedir voosde lugares como
Europa, EUA, ChinaeIrã. Na sema-
na passada,determinou quarente-
naobrigatóriaàtodaapopulação.
Comosesforços,Fernándezvem
conseguindo desarmar a oposição
contra seu governo. Aprópria
ameaçade paralisação do setor ru-
ralista há poucas semanas, após
reajustedoimpostoàexportações,
desapareceu.Omovimento,que
vinhaperdendoforçapor divisões
internas,pororafoisepultado.
Alémdisso, acrescentaAna,
quando Fernández anunciou o
confinamento obrigatório, estava
rodeado de governadores de dife-
rentes espectros políticos. “Isso in-
dicaque ele podeganhar tempo
para conseguir maiorapoiodo
que tinhaantesdessacrise”, diz.
Elaressalta,contudo,queasconse-
quências econômicas da pande-
mia chegarão cedooutarde àAr-
gentina,oque aprofundaráacrise
naqualopaísestámergulhado.
No Peru, aepidemia tem ajuda-
do o presidente Martín Vizcarraa
acalmartensõeserecuperarapoio.
Onovo Congresso,que começava
as atividades na semana passada,
interrompeuatividades.“Pratica-
mente,toda discussão política de-
sapareceu, e qualquerum que fale
maldasmedidastomadaspelogo-
vernocontra ovírus éautomatica-
mente criticado”, diz Fernando
Rospigliosi, da FRC Consultores.
Pesquisa Ipsos de ontem mostra
queapopularidadedeVizcarrasu-
biude52%noiníciodemarçopara
87%. Além disso,95% apoiam me-
didascomoconfinamento. OPeru
registra318casosecincomortes.
Os cenários no Chile, na Argen-
tinaenoPerucontrastamcomode
vizinhos comoMéxicoe Brasil, on-
de líderes vem recebendo críticas
pelafalta de medidas. “Se compa-
rarmosasreaçõesdeFernández
com as de Jair Bolsonaro,Donald
Trump nos EUA ou Andrés Manuel
López Obradorno México, vemos
que Fernández édos maisproati-
vos frenteà crise”, diz Ignacio La-
baqui,daMedleyGlobalAdvisors.
Brasil e México, as duas maiores
economias da América Latina, têm
presidentes visivelmente lentos
em reconhecer a gravidadedaco-
vid-19,dizNicholasWatson,daTe-
neo Intelligence. “Ainda não sabe-
mos se isso podeatrapalhar a con-
tençãodovírus,masoscustospolí-
ticospodemserbemaltos.”

Índia entra em confinamento


RAFIQ MAQBOOL/

AP

Pandemia atrasará negociações


naOMC e acordos comerciais


Assis Moreira
De Genebra

Apandemia do coronavírus
atrasará em pelomenos um ano
barganhasfinais para acordos en-
tre os 164 membrosda Organiza-
ção Mundialde Comércio (OMC).
Tambémfrearámovimentos de li-
beralizaçãoemváriospaíses.
Porcausa da covid-19, aconfe-
rência de ministros de comércio,
que ocorre acada dois anos ees-
tava prevista paraocorrer de 8 a
11 de junho em Nursultan, capi-
taldoCazaquistão,foicancelada.
Comisso,desaceleraraminicia-
tivasquevãodesdeeliminarsubsí-
dios ao setor pesqueiro e definir
apoioao setor agrícola atémais
transparência a regulações do-
mésticasnosetordeserviços.
A OMCestá paralisada. Reu-
niõesde todotipo foram suspen-
sas até o fim de abril. Tentativa de
negociação virtual sobreeliminar
certos subsídios no setorpesquei-
ro dificilmenteavançará, poiso
formatodoencontronãoajuda.
Mesmoseapropagaçãodovírus
diminuir nos próximosmeses,di-
ficilmentehaverá conferência mi-
nisterialdaOMCnesteano.Emno-
vembrohaverá eleição presiden-
cial nos EUA,o que ésempre ruim
paranegociaçõesmultilaterais.
O maisprovável é que a confe-
rência ministerial seja empurrada
paraomeiodoanoquevem.Atélá

negociadores achamdifícil surgir
algumacordo parareativar o Ór-
gão de Apelação,espécie de corte
supremado comérciointernacio-
nal,que o governo Donald Trump
buscareformarinteiramente.
Acrisefreou iniciativas em dife-
rentes cantosdo mundo. O acordo
de livre comércio entre o Mercosul
(Brasil, Argentina, Paraguai e Uru-
guai) eaAssociação Europeia de
Livre Comércio (Efta, formadapor
Suíça, Noruega, Islândia eLiech-
tenstein)seriaassinadoemjunho.
Omesmo vale para o acordoen-
tre o Mercosul eaUnião Europeia
(UE). A expectativa era de quea
Alemanha, ao assumir apresidên-
cia da UE em julho, encaminharia
o acordopara examedas institui-
ções europeias. Mas aprioridade
agora é fortalecer a cooperação no
mercadocomumeuropeuesupe-
rararecessãoqueseaproxima.
Aratificação do acordo entrea
UE eoVietnã tambémestá em
marcha lenta. Alémdisso,poucos
agora estão focadosnum acordo
comoReinoUnidoapósoBrexit.
Apenas Trump continua sua
guerra comercial. Washington au-
mentoutarifas sobre aeronaves
europeiasde10%para15%.Naprá-
tica isso não tem muito efeito, pois
asencomendasdespencaram.
Negociadorestemem,noentan-
to, que,uma vezpassada acrise,
EUA eChina retomarãoaguerra
comercialcomaindamaisforça.

Economistasveemtraços dedepressãonosEUA


RichMillere Reade Pickert
Bloomberg, de Washington

Os Estados Unidosestãoen-
trandoem recessão. O maiorte-
mor agoraé que omau momen-
to se prolongueese aproximede
umadepressão.
Trata-se,porém,de uma hipó-
teselongedocenáriobase,jáque
muitosanalistassentem-seenco-
rajados com os sinaisde renasci-
mentono epicentro original do
coronavírus,aChina, epreveem
umarecuperação americana no
segundo semestre, depoisque o
contágioperderforça.
Mas, àmedidaque a atividade
comercialse paralisa e as demis-
sõesaumentam,algunsecono-
mistas de destaque, entre os
quais Glenn Hubbarde Kevin
Hassett, que forampresidentes
do Conselho de AssessoresEco-
nômicosda CasaBranca, e Alan
Blinder, ex-vice-presidente do
Federal Reserve(Fed, obanco
central dos EUA),têm traçado
comparações com aGrandeDe-
pressão, embora não tenham
chegadoapreverumanova.
Os EUA,sem dúvida,sofrerão
uma grande contraçãoeconômi-
ca em razãodo fechamentode
empresase da permanênciados
americanosem suascasas.De

acordo comalgumasestimati-
vas, a economia se encaminhaa
seupiortrimestredesde1947.
ObancoJP Morgan projeta
que o Produto Interno Bruto
(PIB) do período de abrilajunho
vai encolher 14%, na taxa anuali-
zada.OBank of America eacon-
sultoriaOxfordEconomics esti-
mamumaretração de 12%.Já o
banco GoldmanSachs Group
prevêumtombode24%.
Emboraseja um enormegol-
pe, é apenasum trimestre. Na
Grande Depressão de 1929 a
1933, todaa economiaamerica-
na encolheucercade 25%,en-
quanto o desemprego aproxi-
mou-sedos25%.
A duraçãoda atualcontração
da economia dependerámuito
do tempoque levarápara ocoro-
navírussercontido.
“A menosque este vírusdesa-
pareçamiraculosamenteda po-
pulaçãoao longodos próximos
meses,éumcenáriorazoávelque
possamosficarnestequadrode
confinamento por um bomtem-
po,talveztrimestres”,disseopro-
fessorJamesStock,da Universi-
dadeHarvarde membro da co-
missão do EscritórioNacionalde
Pesquisa Econômica dos EUA,
encarregadade determinar a du-
raçãodasrecessões.

Se todosficaremdentro de ca-
sa por seis meses“será comona
Grande Depressão”, disse Has-
sett,que está voltandoà Casa
Branca paratrabalharcomoas-
sessorem questões econômicas,
ementrevistaàrededeTVCNN.
Aprofundidade eduraçãodo
declínio da economia americana
dependerãode comoserão as
políticaseconômicas. Foram er-
ros nas políticas, particularmen-
te do Fed, que tornaramacon-
traçãode quaseum séculoatrás
em uma depressão.
Umgrandetemoréqueapara-
da repentina leve a quebras e de-
missões generalizadas, que aba-
lem a economiapor anos,como
ocorreunaGrandeDepressão.
O Goldman Sachsprevêque os
pedidosde segurodesemprego
devem ter aumentadopara o re-
cordede2,25milhõesnasemana
encerradaem 21 de março,en-
quanto o Bankof Americaproje-
ta 3 milhões,eoCitigroup, 4 mi-
lhões.Acifra ultrapassaem mui-
to os 282 mil registradosna se-
mana anteriore é maisque o tri-
plo do recordede 695 mil regis-
tradosemumasemanade1982.
Greg Brown, professor de finan-
ças na Kenan-Flagler Business
School, da University da Carolina
do Norte, calcula que o desempre-

go podechegar a 9% daqui a dois
meses,emcomparaçãoaos3,5%de
fevereiro,omenorem50anos.
Diferentemente de um século
atrás,oFedagiurápidodestavez.
Cortou as taxasde juro a zero, re-
começouo afrouxamento mone-
tárioquantitativo eressuscitou
as linhasemergenciaisde finan-
ciamentoque usouna crisefi-
nanceirapassada.
O presidente dos EUA,Donald
Trump, admitiu,tardiamente,a
profundidade do golpeque a
economiaestáporsofrer.
Alguns analistas tentando
projetar o rumoda economiaci-
tam a pandemiade influenzaem
1918,que matoucercade 50 mi-
lhõesemtodoomundo.
Emrecenteapresentaçãovirtual
da Brookings Institution, o econo-
mista Robert Barrodisse que na-
quela época os paísessofreram
uma redução de 6% no PIB, quase
em linha comaúltimarecessão,
mas muitomenor do que naGran-
de Depressão. “Pensamosem de-
pressão comoumarecessãomui-
to,muitoprofundaemuito, muito
longa”, disseBlinder,hoje na Uni-
versidadedePrinceton.“Esseéoti-
po de coisaque podeacontecer”,
caso haja um pico temporário do
número de infectados e os casos
retornemnosegundosemestre.

A Índia dará iníciohoje a um
confinamento parcial para tentar
conter a propagação do coronavírus,
que já infectou 376 pessoas e matou
sete no país.A capitalNova Délhiterá
até 31 de março toda populaçãosob
quarentenaobrigatória,anunciou

ontemo governo. Na semanapassada
o premiêNarendra Modihavia pedido
aos 1,3 bilhão de indianos que
fizessem ontemum “toquede
recolher voluntário”. Hojeentram em
vigorrestriçõescomofechamento de
todo o varejo não essencial e

interrupçãode trens locaisem
cidadescomoMumbai e Calcutá.
Trens interurbanos e de longa
distância —que levam 23 milhõesde
pessoaspor dia —também foram
suspensos. Na foto, estação em
Mumbai praticamente vazia.

Curtas


Merkel em quarentena
ApremiêdaAlemanha,Angela
Merkel,entrouontememquaren-
tenadepoisdeestaremcontato
comummédicoqueteveresulta-
dopositivonotesteparaocorona-
vírus.Merkelcontinuarátraba-
lhandodecasaeserásubmetidaa
testesnospróximosdias,disseo
porta-voz.Nasexta-feira,Merkel
haviatomadovacinacontraa
pneumococo,quecausapneumo-
nia,deummédicoquemaistarde
testoupositivoparaocoronavírus.

Jogospodem ser adiados
AOlimpíadadeTóquiopodeser
adiadaematédoisanos.Ontemo
ComitêOlímpicoInternacional
dissequeestáconsiderandoadiar,
masnãocancelar,osJogosqueco-
meçariamem24dejulho.Adeci-
são,tomadaapósreuniãocommi-
nistrosjaponeses,ocorreumase-
manaapósocomitêdizerquenão
seriamfeitas“decisõesdrásticas”.

Canal Unico PDF - O Jornaleiro